Pages

sexta-feira, 29 de novembro de 2013

o lenhador

O lenhador
Um jovem lenhador chegou a uma fazenda onde trabalhava um velho lenhador,
famoso na região por ser o melhor dos lenhadores.
O jovem era forte, cheio de saúde e vigor. O velho lenhador já estava cansado pela idade.
 Eis que o jovem, querendo ser o melhor dos lenhadores, desafia o velho para uma disputa.
 O vencedor seria quem cortasse o maior número de árvores ao final do dia.
A competição atraiu a atenção de todos os moradores da localidade. Muitos acreditavam que
 finalmente o velho perderia a condição de campeão dos lenhadores, em função da grande vantagem
física do jovem desafiante.
No dia marcado, os dois começaram a disputa. O jovem começou avassalador, entregando-se
com muita energia e com a certeza de que venceria. Cortou 10, 20, 30 árvores, e continuava, sem parar.
 De tempos em tempos olhava para o velho e, às vezes, percebia que ele estava sentado.
 Pensou que o adversário estava velho demais para a disputa, e continuou cortando lenha com todo vigor.
Ao final do dia, foram medir a produtividade dos dois lenhadores! Todos ficaram chocados.
O velho havia vencido a disputa, por larga margem. Havia cortado o dobro da lenha que o jovem cortou.
Intrigado, o jovem perguntou ao velho lenhador:
- Não entendo, muitas vezes quando eu olhei para o senhor durante a competição e notei que estava sentando,
descansando. No entanto, conseguiu cortar muito mais lenha do que eu! Como? Isto é impossível!
- Engano seu - disse o velho lenhador - quando você me via sentado, na verdade, eu estava afiando meu machado.
Compartilhei esta conhecida história para refletirmos juntos. Você tem “afiado seu machado” diariamente?
Lembre-se sempre da importância da estratégia em tudo que você faz. Use sua experiência adquirida com todos os fatos que você já vivenciou. Pare, estrategicamente, reflita e avalie se seus esforços estão adequados aos desafios que você tem que enfrentar.

Paz e Alegria,

sexta-feira, 22 de novembro de 2013

A Rosa e o Sapo









Era uma vez uma rosa muito bonita, a mais linda do jardim. Mas começou a perceber que as pessoas somente a observavam de longe. Acabou se dando conta de que, ao seu lado, sempre havia um sapo e por essa razão ninguém se aproximava. Irritada com a descoberta, ordenou ao sapo que fosse embora. O sapo, humildemente, disse: - Está bem, se é o que deseja. Algum tempo depois o sapo passou por onde estava a rosa, e se surpreendeu ao vê-la acabada, sem folhas nem pétalas. Penalizado, disse: - Que coisa horrível, o que aconteceu com você? A rosa respondeu: - As formigas começaram a me atacar dia após dia, e agora nunca voltarei a ser bela como era antes. O sapo respondeu: - Quando eu estava por aqui, comia todas as formigas que se aproximavam de ti. Por isso é que eras a rosa mais bonita do jardim. Muitas pessoas desvalorizam os outros por acharem que são superiores, mais bonitas ou mais ricas. Deus não fez ninguém para "sobrar" neste mundo. Ninguém deve desvalorizar ninguém. Na escola da vida, todos têm algo a aprender ou a ensinar.
 Compartilhei esta conhecida fábula para que possamos extrair dela um precioso aprendizado.

quarta-feira, 2 de outubro de 2013

O VALOR DA PRECE

Figurai a prece como um detonador psíquico que movimenta as energias excelsas adormecidas na essência da alma humana. Sem dúvida, a capacidade de aproveitamento do homem durante o despertamento dessas forças sublimes pelo impulso catalisador da oração depende tanto do seu grau espiritual como de suas intenções. Aliás, o espírito, ao liberar suas energias no ato da prece, ele melhora a sua freqüência vibratória espiritual, higieniza a mente expurgando os maus pensamentos e libera maior cota de luz interior. O homem também se purifica pelo hábito constante dos bons pensamentos, pois estes mantêm no campo vibratório de sua mente um estado espiritual tão benéfico como o que se produz nos momentos sedativos da oração.

terça-feira, 24 de setembro de 2013

o verdadeiro cristão




                                     DOIS  GRANDES EXEMPLOS

REGRAS DE BOA CONDUTA
 Sou sábio, cristão e bastante educado. Por quê...
 1. Respeito o meu semelhante e também os animais;
 2. Não faço do ônibus, metrô e da rua minha lixeira, tenho sempre um saquinho na minha bolsa; 
3. Em público procuro não falar alto ao telefone celular para não incomodar; 
4. Respeito o espaço dos outros, principalmente nas filas por maior que seja a minha necessidade;
 5. Cuido dos idosos, das crianças e das grávidas com carinho e respeito; 
6. O som do meu carro ou da minha casa é sempre baixo para não incomodar meus vizinhos, viver em comunidade é uma questão de cidadania e respeito aos direitos dos outros;
 7. Visito sempre os doentes. Seja do corpo ou da alma, elaborando uma conversa alegre, otimista e saudável, criando e mantendo um ambiente agradável e sobretudo, não ultrapasso o limite de 15 minutos, para não me tornar inconveniente;
 8. Procuro ser grato por tudo, ainda mesmo quando as coisas pareçam desfavoráveis;
 9. Cuido, com carinho e respeito àquelas que me deram a vida e me criaram; 
10. Procuro ajudar a todos, mesmo aqueles a quem não tenho simpatia, a caridade não discrimina ninguém; 
11. Quando levo meu cão para passear, recolho sempre seus detritos, não deixo as praças e as ruas sujas; 
12. Cuido do meio ambiente, não destruo as árvores, cuido delas e planto-as sempre que posso, para ajudar na preservação do planeta;
 13. Não faço fofoca, tenho comigo um lema: não vejo, não ouço e principalmente não falo; o silencio e de ouro;
 14. Não me envolvo com drogas por mais simples que seja;
 15. Enfim sou educado, respeito todas as crenças pois, ninguém é dono da verdade, não insulto ninguém, elogio sempre a quem merece pois todos gostam de ser sentir apreciados, estou sempre pronto a recuar e pedir desculpas; por isso:
 16. Sou bastante inteligente porque não deixo nada para depois, nem no trabalho, nem na escola ou no lar e principalmente a minha reforma íntima, que fará de mim uma pessoa melhor, capaz de viver e atuar na sociedade transformando-a. 

sexta-feira, 26 de julho de 2013

PERFEIÇÃO MORAL



Diz a Espiritualidade em «O LIVRO DOS ESPÍRITOS», no capítulo que trata da Perfeição Moral, Virtudes e Vícios, que muitas vezes as qualidades morais são como a douração feita num objeto de cobre, que não resiste a pedras de toque. Pode um homem possuir reais qualidades que o apontam ao mundo como um homem de bem? Mas, posto seja um progresso, nem sempre essas qualidades resistem a certas provas, e por vezes, basta tocar a corda do interesse pessoal para o pôr a descoberto.

Emendar-se, vencer as paixões, corrigir o caráter, visando crescer espiritualmente e com a intenção de colaborar com Deus e a Humanidade desinteressadamente: Eis, um procedimento sensato, pois não há nenhum egoísmo em melhorar-se tendo em vista aproximar-se de Deus, pois esta é a meta para a qual todos nós tendemos..
Sempre que nos dedicarmos a um estudo sistemático, estaremos seguindo o caminho do bem já que, a par de nos instruirmos – e por conseguinte trabalharmos por nosso progresso individual -, estaremos indiretamente contribuindo para o progresso dos que nos cercam e, em última análise, de toda a humanidade – e isto está conforme à lei natural do progresso que nos direciona para a perfeição.
Neste caminho da perfeição censurar defeitos alheios não é uma boa atitude, pois nenhum de nós dispõe de faculdades completas; e é pela união social que nos completamos, asseguramos nosso próprio bem-estar e progredimos. Antes de qualquer censura a alguém, devemos refletir de como agiríamos se estivéssemos no lugar daquele que desejamos censurar. Este proceder nos levará a compreender melhor a psicologia humana, buscando formas de nos educarmos mutuamente, inclusive analisar o nosso proceder e corrigir possíveis defeitos que ainda existem em nós. Este procedimento também é um meio de crescermos espiritualmente.
Se desejamos provar nossa capacidade, só existe uma maneira de fazê-lo, é através do exemplo.
Diz Alexandre Rangel, especialista em processos de qualidade empresarial, in Artigos/Qualidade da Rádio Bandeirantes, que Napoleão Bonaparte sem dúvida foi um dos maiores líderes que este mundo já conheceu. Certa vez, seu exército estava se preparando para uma das maiores batalhas.

As forças adversárias tinham um contingente três vezes maior que o seu, além de um equipamento muito superior. Napoleão avisou seus generais de que ele estava indo para a frente de batalha e estes procuraram convencê-lo a mudar de idéia:

- Comandante, o senhor é o império! Se morrer, o império deixará de existir. A batalha será muito difícil. Deixe que nós cuidaremos de tudo. Por favor, fique. Confie em nós.

Tudo em vão, não houve nada que o fizesse mudar de idéia. No meio da noite, o general Junot, um de seus brilhantes auxiliares e também amigo, procurou-o e, de novo, tentou mostrar o perigo de ir para a frente de batalha.
Napoleão olhou-o com firmeza e disse:

- Não tem jeito, eu vou.

- Mas por quê, comandante?

E ele respondeu...

- É mais fácil puxar do que empurrar! Servir de exemplo não é a melhor forma de ensinar; é a única forma de ensinar!

Não merece repreensão aquele que sabe, por suas ações, estar fazendo o bem, desde que seu intuito é o de pesar suas ações na balança de Deus, e sobretudo na Sua lei de justiça, amor e caridade, para dizer a si mesmo se suas ações estão no objetivo correto. O que não é racional é se envaidecer, pois significaria que tudo o que fez cairia por terra, já que essa atitude seria uma demonstração que em si ainda há o egoísmo.
Em L.E., q. 913, os Espíritos superiores dizem que o vício que podemos considerar como sendo o mais pernicioso é o egoísmo, pois é dele que deriva todo o mal e, se estudarmos a fundo todos os vícios que possuímos, em todos eles existe o egoísmo.
Podemos lutar de todas as formas para tentar tirar qualquer um de nossos vícios, mas só iremos extirpar o egoísmo quando o atacarmos na sua raiz e destruirmos sua causa, pois quem nesta vida desejar se aproximar da perfeição deve extirpar de si todo o sentimento de egoísmo, porque ele é incompatível com a lei de Justiça, amor e caridade. Aliás, o egoísmo anula todas as outras qualidades.
Muitos de nós podemos alegar que o nosso mundo é dominado pelo egoísmo, por isto a dificuldade em extirpá-lo. A isto podemos dizer que, se cada um de nós trabalhar sua transformação íntima, procurando uma forma de se melhorar, a intensidade desse vício tenderá a diminuir e o mundo melhorar. Caso contrário será necessário que ele cresça mais ainda para que faça danos consideráveis para se compreender a necessidade de sua extirpação, daí a escolha é de cada um de nós.
Realmente, podemos admitir que o egoísmo é muito difícil de se erradicar - pois está ligado à influência da matéria - e que ainda estamos muito próximo de sua origem mas, com certeza, ele se enfraquecerá com a predominância da vida moral sobre a vida material, e sobretudo com a compreensão de doutrinas como o Espiritismo, que nos fazem entender melhor nossa condição futura.
Conforme ensinamentos de Sócrates e Santo Agostinho, in LE 919a: O autoconhecimento é a chave do melhoramento individual, pois permite que alinhemos nossas ações e pensamentos na direção das correções que necessitamos realizar, e assim, ajustar nossos atos de acordo com os ensinamentos dos grandes Mestres que estiveram na Terra, em especial o Mestre Jesus, tanto em relação a Deus, como em relação ao nosso próximo.
Este processo é árduo; assim, necessitaremos de muita coragem e determinação para realizá-lo, mas através do esforço próprio e de exercícios repetidos na direção das boas causas, iremos sedimentar em nós o próprio bem. Deus sempre nos assiste e auxilia, mas devemos fazer a nossa parte se desejamos verdadeiramente melhorar e assim colaborar com a construção de um mundo novo e melhor.

Artigo com base no Livro terceiro, cap. XII de O LIVRO DOS ESPÍRITOS, obra codificad
a por Allan Kardec

terça-feira, 9 de julho de 2013

LEVANTE ALGUÉM

2 Comentários
Se você quer levantar a si mesmo, levante alguém. Booker T. Washington
Você quer experimentar uma grande dose de energia a qual ninguém pode tirar de você? Então, encoraje alguém, levante alguém. Tenha como foco ajudar alguém e os seus olhos se abrirão para maravilhosas possibilidades. Dê de si mesmo a outros e você terá ainda muito mais para dar.
Toda grande realização vai muito além do realizador. Na realidade, o valor de cada realização é baseada em quantas pessoas a realização afetou. Tenha o hábito de fazer uma diferença na vida de outras pessoas; todos os dias você tem muitas oportunidades para fazer exatamente isto.
Toda e qualquer pessoa tem um valor único e singular. Respeite e celebre esse valor ao se conectar com essa pessoa. Levante outros e você levantará o seu mundo. Levante o seu mundo e você irá descobrir um maravilhoso lugar de se estar.
Nélio DaSilva
Para Meditação:
Faze-me ouvir do teu amor leal pela manhã, pois em ti confio. Mostra-me o caminho que devo seguir, pois a ti elevo a minha alma. Salmos 143:8

Compartilhe:


quinta-feira, 13 de junho de 2013

madre tereza de calcutá

Boa tarde, amigos modernos!
A bondade do ser humano é sempre um tema polêmico. O que é certo e o que é errado quando falamos em uma causa pessoal ou coletiva? Hoje, vamos colocar o assunto em discussão, relembrando o nascimento de um dos maiores símbolos de bondade do século XX: Madre Teresa de Calcutá.
Madre Teresa de Calcutá nasceu na cidade de Skopje, Macedônia, em 27 de agosto de 1910. Sob o nome de Agnes Gonxha Bojaxhiu, a missionária veio de uma família católica da comunidade albanesa do sul da antiga Iugoslávia. Desde pequena descobriu seu dom para a vocação religiosa e ingressou na Ordem de Nossa Senhora de Loreto, na Irlanda, aos 18 anos. Como parte de sua formação religiosa, foi enviada para um colégio na cidade de Darjeeling, na Índia, em 1931. Foi nessa escola que, em 24 de maio de 1931, fez seus votos de obediência, pobreza e castidade, tornando-se noviça e adotando o nome de Teresa.
Mudou-se para Calcutá e estudou enfermagem. Deixou a Ordem das irmãs Loreto ao receber um chamado divino para viver com os pobres e exercer sua vocação. Desde então, dedicou sua vida ao trabalho com os pobres da capital indiana. Conforme seu trabalho crescia, aumentava o amor de Teresa pelo povo da Índia. Assim, ela adotou a cidadania indiana.
Apesar de ter abandonado o hábito da Congregação de Loreto, a Irmã Teresa continuava sendo uma religiosa de Calcutá. Logo, passou a se vestir com um sari branco, debruado de azul e colocou-lhe no ombro uma pequena cruz. Seria o seusnovo hábito, o vestido de uma modesta mulher indiana. Com afeto, a irmã dava lições de higiene, muitas vezes iniciava a aula lavando o rosto dos alunos. Depois ia de abrigo em abrigo levando, mais que donativos, palavras amigas e as mãos sempre prestáveis para qualquer trabalho.
Em 1948, o trabalho da Irmã Teresa já era bastante reconhecido em Calcutá. Dessa forma, com a ajuda de doações, ela conseguiu um albergue de peregrinos, perto do templo de Kali, onde ela fundou a Ordem das Missionárias da Caridade (1948) e passou a dar assistência aos necessitados.
A partir de 1949, começou a se formar uma pequena comunidade. O trabalho desenvolvido com os pobres de Calcutá envolveu a criação de escolas ao ar livre, centros para cegos, idosos, leprosos, aleijados e pessoas necessitadas de cuidados. Por toda a solidariedade prestada, a Ordem recebeu sanção canônica do Papa Pio XII, em 1950. Em reconhecimento a sua obra, em 1963, o governo indiano concedeu-lhe (1963) a medalha Senhor do Lótus. Em 1965, o Vaticano aprovou a Congregação como parte do trabalho da Igreja Católica no mundo.
Em 1975, Madre Teresa de Calcutá foi indicada ao Prêmio Nobel da paz, porém só recebeu o título em 1979. Em 1983, após um ataque cardíaco, sua saúde fica bastante comprometida e por isso, em 1990, ela solicitou seu afastamento do trabalho da Ordem. Seis anos mais tarde, ela volta a ser reeleita Madre Superiora da Ordem, mas já bastante debilitada acaba falecendo no dia 05 de setembro de 1997, vítima de uma parada cardíaca.
Todos os seus esforços puderam ser recompensados na ocasião de sua morte. Diante da igreja de São Tomé, em Calcutá, onde seu corpo era velado, formou-se uma fila interminável de fieis querendo se despedir de Madre Teresa.  O mesmo veículo que, em 1948, transportara o corpo do Mahatma Gandhi foi utilizado para realizar o cortejo fúnebre da Mãe dos pobres.Como fundadora das Missionárias da Caridade, foi testemunho vivo de amor a Jesus Cristo por sua entrega total a serviço dos mais pobres entre os pobres. Seu exemplo haverá de ter sido um guia para a consciência da humanidade.

domingo, 2 de junho de 2013

humanização nas casas espiritas




espiritualização passa necessariamente pelo processo de humanização da criatura. Em outras palavras: necessitamos antes de pensar em “plano espiritual” refletirmos sobre a importância de sermos humanos, solidários e benevolentes uns com os outros antes de olharmos para os Céus.
Nosso campo de trabalho por enquanto é aqui na Terra, ou seja, devo atender bem os amigos que estão aqui na Terra, os companheiros da “boa luta” que fazem parte do meu cotidiano e que são meus próximos mais próximos. Outro dia recebi um e-mail com os seguinte conteúdo: o dirigente de minha reunião mediúnica é educado e gentil com os espíritos que se manifestam, todavia quando dirige a palavra para um membro encarnado de nosso grupo sempre vem bronca e de forma acintosa.
Diante do desabafo indago: Por que tratar bem o espírito desencarnado e não dar o mesmo tratamento ao espírito encarnado?
Ora, somos todos iguais independentemente da condição em que nos encontramos, ou não?
Então, de que adianta sermos educados com os espíritos se não o somos com os companheiros aqui da Terra? É preciso, pois, humanizar-se!
Outro ponto: algumas pessoas dão mais valor ao que vem dos espíritos do que dos homens. Se um Espírito diz algo ela acredita piamente, mas se é alguém encarnado logo passa pelo crivo da razão. Allan Kardec ensina que os Espíritos são apenas os homens que aqui viveram e deixaram a vestimenta carnal, portanto, não possuem nem todo o saber e nem toda a moral, refletem na espiritualidade suas tendências, manias e outras coisas que os caracterizavam quando encarnados.
Diante do ensinamento de Kardec concluímos que os Espíritos não sabem tudo e que palavras boas podem vir tanto dos Espíritos quanto dos homens que ainda estão na Terra. É preciso, pois, humanizar-se!
Dia desses visitei o CE Eterna Amizade de Pederneiras SP e o CE Cairbar Schutel em Matão SP e notei a recepção calorosa dos amigos aos que chegavam à casa. Designaram voluntários para recepcionar as pessoas e entregar mensagens. Ótima iniciativa. Tem muita gente que chega pela primeira vez ao centro espírita e é necessário receber com carinho essas criaturas.
O centro espírita precisa ser um lar também para os que ainda estão aqui na Terra. É preciso, pois, humanizar-se! Outra coisa interessante foi o que ocorreu em CE Eterna Amizade, o mesmo que citei acima.
Dia de finados e realizaram uma palestra para abordar o tema: Perda de entes queridos. Entretanto não se restringiram a divulgar aos frequentadores da casa, foram além, arregaçaram as mangas e divulgaram para toda a cidade. Foi uma noite memorável. Mães e pais, católicos, evangélicos e sem religião recebendo em seus corações o consolo proporcionado pela doutrina espírita. Uma beleza! Por isso estou sempre batendo nesta tecla: Antes de cogitarmos das bênçãos dos Céus é necessário trabalhar aqui na Terra. Antes de nos espiritualizarmos é imprescindível sermos mais humanos. Pensemos nisso.
Wellington Balbo

sábado, 18 de maio de 2013

O QUE É O PASSE ,E A SUA EFICACIA







O que é

O Passe Espírita, ou Fluidoterapia
, como é também conhecido, é uma transfusão de uma certa quantidade de energias fluídicas vitais (psíquicas) ou espirituais, utilizando-se a imposição das mãos, com o propósito de atuar em nível perispiritual, usada e ensinada por Jesus, como se vê nos Evangelhos. Origina-se das práticas de cura do Cristianismo Primitivo.
Há pessoas (médiuns passistas) que tem uma capacidade maior de absorção e armazenamento dessas energias que emanam do Fluido Cósmico Universal e da própria intimidade do Espírito. Tal capacidade as coloca em condições de transmitirem essas energias a outras criaturas que eventualmente estejam necessitando. A aglutinação dessa força se faz automaticamente e também, atendendo ao apelo do médium passista (prece) que então municiado dessa carga, transmite de suas mãos em discretos movimentos.
B r e v e  h i s t ó r i c o:
Desde as origens da vida humana na Terra encontramos os ritos de aplicação dos passes, não raro acompanhados de rituais, como o sopro, a fricção das mãos, a aplicação de saliva e até mesmo a mistura de saliva e terra para aplicação no doente.
No próprio Evangelho vemos a descrição da cura de um cego por Jesus usando essa mistura. Porém Jesus agiu sempre, em seus atos e em sujas práticas, de maneira anti-ritual, de maneira que essas descrições, feitas entre quarenta e oitenta anos após a sua morte, podem ser apenas influências de costumes religiosos da época. Todo o ensino de Jesus visava afastar os homens das superstições vigentes no tempo. Essas incoerências históricas, como advertiu Kardec, não podem provir dele, mas dos evangelistas. Caso contrário Jesus teria procedido de maneira incoerente no tocante aos seus ensinos e aos seus exemplos, o que seria absurdo.
Roque Jacinto em seu livro "Passe e Passista" informa que a prática do Passe sempre foi de todos os lugares e de todos os tempos, externamente revestida  das mais variadas fórmulas e dos mais exóticos ritos, ajustados ao degrau mental de seus praticantes: nasce o passe no cântico ou evocação dos selvagens em favor dos enfermos de sua tribo, passando pelas vias da "benzedura" e das "rezas" de médiuns naturais, chegando à bênção sacerdotal pelos doentes, encontradiço na prece maternal em favor de filhos assaltados pelas dores ou pelas angústias e tribulações, e culmina nos Templos do Espiritismo Cristão da atualidade, onde foi incorporado como recurso fundamental para a re-harmonização do perispírito no curso de diversas provas e explicações e das mais variadas enfermidades da alma ou do corpo.

...Viajando nos caminhos evangélicos, encontramos cenas inumeráveis, tanto do Cristo como de seus discípulos, impondo as mãos sobre os enfermos e curando-os, falando com os paralíticos e restabelecendo seus movimentos, olhando para as pessoas desorientadas e devolvendo-lhes a paz e a esperança, Jesus foi o mestre, por excelência, nessa arte, e deixou para a humanidade esse recurso, como herança divina, e a Boa Nova como disciplinadora dessas forças benfeitoras...
P a r a   q u e   s e r v e:
Como permuta das energias universais, quer entre desencarnados, quer entre encarnados elege-se por delicado e precioso auxiliar a ser utilizado no tratamento das doenças de longo curso; nas crises bruscas e repentinas de dor, no combate às chamadas "doenças-fantasmas", nas perturbações espirituais transitórias que sofrem as almas encarnadas, nas enfermidades da mente, no reequilíbrio de si mesmo, quando o homem está sob o fogo da auto-obsessão, nos abalos do sistema nervoso...


Por atuar diretamente sobre o perispírito, ou seja, sobre a matriz onde se funde o nosso organismo físico e, por conseguinte, onde se localizam as raízes profundas de nossos distúrbios somáticos, o passe é o mais importante elemento para a promoção do equilíbrio perdido ou ainda não conquistado, sempre que todo e qualquer desajuste se instale ou se revele.
O b j e t i v o s  d o  P a s s e:
Em primeiro lugar o Passe é direcionado para a pessoa ou para o espírito que carece e procura por esse notável "agente de cura", o socorro que lhe proporciona o reequilíbrio orgânico, psíquico, perispiritual e espiritual.
Em segundo lugar, apesar do socorro fluídico propiciar, quase sempre, o alívio dos males orgânicos e o reequilíbrio psíquico, com notáveis conquistas no campo físico e perispiritual, a cura de qualquer mal não será atingida se as causas desse mal não forem sanadas. Assim sendo, o assistido necessita de "evangelhoterapia", submetendo-se aos tratamentos espirituais que a Casa Espírita vai oferecer e, mais tarde, do estudo. Nesse sentido, a Fluidoterapia objetiva auxiliá-lo nessa conquista, na auto-cura, propiciando-lhe o reequilíbrio transitório, com base no tratamento das causas, até que ele, por si, tenha meios de combater os efeitos. Através do reequilíbrio energético, a pessoa aos poucos consegue ter modificada sua visão, enxergando as mesmas circunstâncias de maneira diversa. Dessa forma ela consegue modificar a sua vida, não com uma mudança das situações que o cercam mas com a mudança de sua ótica em relação a elas.





segunda-feira, 13 de maio de 2013

As fobias e a reencarnação



Uma psicóloga norte-americana foi procurada para atender um adolescente, portador de problema singular.
Desde a infância, o garoto trazia uma fobia com relação ao bater das asas dos pássaros mas, foi na adolescência que o problema se intensificou e os pais buscaram a ajuda de um profissional.
Quando percebia um pássaro pousando, o movimento das asas lhe causava crises terríveis culminando em desmaio.
A psicóloga buscou, com todos os recursos de que dispunha, uma forma de ajudá-lo.Provocou, 
Embora não acreditasse na teoria da preexistência do Espírito, foi nesse universo desconhecido que encontrou a origem do trauma.
O jovem, então com 21 anos, mergulhou no seu passado e se viu como soldado, lutando na Segunda Guerra Mundial.
Descrevia seu drama com detalhes. Estava em meio a uma batalha, juntamente com os demais soldados, quando houve uma grande explosão e todos foram atingidos.
Ele também fora atingido pelos estilhaços da bomba mas não morrera de imediato, ficando apenas semiconsciente.
Após baixar a poeira, vieram os tratores e juntaram os inúmeros corpos em monturos, deixando-os para serem enterrados em covas coletivas mais tarde.
Nessa ocasião, ele, que estava agonizante mas não morto, fora arrastado para o monturo com os demais cadáveres, ficando sobre os demais.
E porque demorassem para soterrar os corpos, os abutres buscaram neles o seu alimento.
Quando os abutres sentavam sobre seu corpo, ele percebia o bater das asas e sentia suas carnes sendo dilaceradas com violência.
Essa cena se repetiu por muitas horas, até que a morte física se consumasse.
Embora rompidos os laços do corpo físico, aquele Espírito ficou impregnado das sensações horríveis dos últimos momentos, a ponto de trazer o desequilíbrio para a nova existência, em forma de fobia.
Não é preciso dizer que a doutora materialista rendeu-se aos fatos e mudou seu pensamento a respeito da vida.
* * *
Muitos medos e traumas cujas causas não estão na presente existência têm suas raízes em um passado mais ou menos distante, em existências anteriores.
O Espírito recebe um novo corpo em cada nova existência, mas traz consigo os problemas não resolvidos de outros tempos.
Por esse motivo é importante que olhemos para as pessoas como Espíritos milenares, mesmo que estejam albergados temporariamente num corpo infantil.
Percebendo a vida sob esse ponto de vista, teremos mais e melhores possibilidades de ajudar as criaturas que trazem dificuldades, começando por nós mesmos.
* * *
Redação do Momento Espírita
Em 22.12.2009.

quinta-feira, 18 de abril de 2013




A MEDICINA E O ESPIRITISMO
José Carlos Pereira Jotz
O que é saúde e o que é doença à luz da doutrina espírita?
• Doença e saúde se referem ao estado em que se encontram as pessoas e não ao estado de órgãos ou partes do corpo.
• O corpo físico nunca está só doente ou só saudável, já que nele se expressam realmente as informações da consciência.
• O corpo de um ser humano vivo deve seu funcionamento ao espírito que o habita. 
• Quando as várias funções corporais se desenvolvem em conjunto dentro de uma harmonia, ele se encontra num estado que denominamos de saúde.
• Se uma função falha, ela compromete a harmonia do todo e então falamos que ele se encontra em um estado de doença. A doença é a perda relativa da harmonia.
• Esta perturbação da harmonia acontece em nível de consciência, que é a parte espiritual do ser, enquanto o corpo é a forma de apresentação desta desarmonia.
• O nosso “não consciente” envia mensagens ao nosso “consciente”, sob a forma de tensões ou sofrimentos físicos e emocionais. Procurando “silenciar” esta tentativa de comunicação, utilizamos medicamentos para acabar com os sintomas, sem perceber o que gerou os mesmos.
• Para se dar conta de onde está situada a causa inicial, médicos e pacientes precisam aprender não apenas a perceber o que é visível na luz, mas também identificar o que está escondido na sombra.

Por que médicos e pacientes precisam aprender a perceber onde está a causa inicial? • Médicos, porque tem o papel de orientar. Se não souberem a causa, irão tratar apenas a conseqüência.
• Pacientes, porque são os principais interessados e responsáveis por sua cura.

Origem da desarmonia no perispírito• Sabemos todos que o perispírito:
• É preexistente e sobrevivente à morte do corpo material, transmitindo suas vontades ao corpo físico e as impressões do corpo físico ao espírito;
• Que o envoltório carnal se modela e as células se agrupam de acordo com a forma perispiritual;
• Que as qualidades ou defeitos, faltas, abusos e vícios de existências passadas registrados no perispírito reaparecem no corpo físico como enfermidades e moléstias.
• Inúmeras almas já renascem “adoecidas”, ou seja, com os componentes psíquicos enfermiços. Em grande parte dos casos, o componente inicial desta enfermidade é a falta de auto-amor.
• O amar a si mesmo ainda é uma lição que todos temos de aprender. Muitas reencarnações têm por objetivo precípuo restabelecer o desejo de viver e recuperar a alegria de sentir-se em paz. Uma conseqüência da falta do auto-amor é a depressão.

O que é depressão? Como se pode conceituar depressão à luz do conhecimento espírita?
• Depressão é cansaço de viver, é não aceitar a vida como ela é.
• É a “doença prisão” que cassa a liberdade da criatura rebelde, viciada em ter seus caprichos atendidos.
• É uma intimação de leis da vida convocando a alma a mudanças inadiáveis.
• Em tese, depressão é a reação da alma que não aceitou sua realidade pessoal como ela é, estabelecendo um desajuste interior que a incapacita para viver plenamente.
• No capítulo “Receituário oportuno” do livro “Escutando os Sentimentos”, de Wanderley S. de Oliveira, Ermance Dufaux nos diz ser necessário ingerir três medicações com freqüência:

1. Acreditar que merece a felicidade, assim como todos os seres humanos (ser feliz é contentar-se com o que se é, sem que isso signifique estacionar; é o amor a si);
2. Parar de encontrar motivos externos para suas dores, encontrando-lhes as causas íntimas (dentro de cada um está a cura para todos os seus males);
3. Parar de pensar em felicidade para depois da morte e tentar ser feliz ainda em vida (a felicidade resulta da habilidade de consolidar o sentido da vida a partir do “olhar de impermanência”).
As emoções e os chakras• Sabemos quando a consciência de uma pessoa está desequilibrada, pois ela torna-se visível e palpável na forma de sintomas físicos ou psicológicos o seu desequilíbrio, existem desarmonias registradas a nível perispiritual. É o ser humano que está doente (espírito) e não o seu corpo físico.
• Como os chakras fornecem energia sutil aos diversos órgãos do corpo, os bloqueios e conflitos emocionais podem resultar num fluxo energético anormal para diversos sistemas fisiológicos. Com o tempo, esses fluxos anormais de energia podem produzir doenças de maior ou menor gravidade em qualquer órgão do corpo.
• O estresse emocional é um importante fator no processo de produção de doenças. Os conflitos emocionais, os sentimentos de impotência e a falta de amor por si próprio podem ter efeitos nocivos sobre o funcionamento dos principais chakras.
• A falta de amor a si ou a auto-imagem ruim pode causar bloqueio no chakra cardíaco, o qual, secundariamente, afeta o funcionamento do timo, debilitando o sistema imunológico. Também pode afetar os pulmões contribuindo para as doenças respiratórias.
• A forma inadequada de expressar verbalmente o que sente ou a não expressão verbal dos sentimentos internos pode interferir na função do chakra laríngeo. Esta pode ser a causa de muitos casos de amigdalites ou transtornos de tireóide.
• Nossas doenças são freqüentemente um reflexo simbólico dos nossos estados internos de intranqüilidade emocional, bloqueio espiritual e desconforto. Isto sugere que a prescrição de medicamentos de efeito rápido, que aliviem apenas temporariamente os sintomas agudos da doença, não é a solução ideal para minorar os problemas do paciente, dentro de uma perspectiva reencarnacionista.
• A medicina do futuro deverá ensinar os pacientes a reconhecer os fatores emocionais e energéticos sutis que podem predispô-los a determinados estados mórbidos. Terão mais facilidade em detectar disfunções nos chakras, corpos emocional, etérico e mental.

HereditariedadePor que ficamos doentes se aparentemente fazemos tudo certo?
• A hereditariedade existe, mas os registros, no perispírito, das experiências passadas da alma (psíquicos, intelectuais, profissionais, morais e emocionais) determinam a formação dos órgãos no novo corpo material. A hereditariedade reflete a aproximação por afinidades vibratórias entre os membros de uma mesma família.
• Na fecundação, o gameta masculino vitorioso está impulsionado pela energia do perispírito do reencarnante que encontrou nele os fatores genéticos necessários para a programação reencarnatória. Os códigos genéticos da hereditariedade, em consonância com o conteúdo vibratório dos registros, vão organizando o corpo físico.
• As enfermidades graves decorrem de faltas passadas e contribuem para o aprendizado, reparação e restauração dos atos inadequados, além da elevação da alma.
• Certos acontecimentos e doenças são permitidas pelo plano espiritual para estimular o espírito a cumprir compromissos com a sua jornada evolutiva.
• Assim, enfermidades ou acidentes inesperados, carência afetiva e dificuldades econômicas são meios utilizados para despertar da anestesia da ilusão ou da intoxicação do orgulho, egoísmo, cólera etc, a que muitos se submetem.
• Tabaco, álcool, drogas, excesso no sexo e na alimentação são de livre opção atual, não incursos originalmente no processo evolutivo de ninguém. Quem a qualquer deles se vincula, colherá o efeito prejudicial, não se podendo queixar ou aguardar solução de emergência.

Energia vital. Como equilibrá-la?• De um ponto de vista energético, o corpo físico debilitado oscila numa freqüência diferente daquela quando em estado saudável.
• Quando a pessoa é incapaz de alterar o seu modo energético para a freqüência adequada, talvez seja necessário aplicar-lhe certa dose de energia sutil, o que pode fazer com que seus sistemas bioenergéticos passem a vibrar de forma apropriada.
• Existem formas de tratamento que interagem também com a energia do ser humano como a acupuntura, a homeopatia, a antroposofia, a cromoterapia, os florais, os fatores de auto-organização, os elixires de pedras preciosas, o passe magnético, a prece, a água fluida etc.
• No entanto, a medicina não deve ter como foco apenas o tratamento do corpo, pois desta forma não obterá a cura, apenas melhora dos sintomas.
• Pesquisas realizadas com ajuda de clarividentes sugerem que as doenças iniciam-se primeiramente no corpo etérico e em outros veículos de freqüências superiores. Neste caso os sinais de doenças poderão ser percebidos no corpo etérico antes que seja possível detectá-los no corpo físico.
• O ideal é que se possa detectar as doenças num estágio suficientemente precoce para que impeça a manifestação física da doença no nível celular.
• A doença é o caminho pelo qual o ser humano pode seguir rumo à cura. Quanto maior for nossa compreensão, maior nosso aproveitamento das coisas que nos cercam.
• A cura acontece através da incorporação daquilo que está faltando e, portanto, ela não é possível sem uma expansão da consciência.
• O desenvolvimento de valores como paciência, humildade, bondade, perdão, tolerância, caridade e amor, são características de consciência plenamente desperta, de unidade perfeita e de perfeito entrosamento de Deus para com o homem. Este é o caminho da cura.

Responsabilidades de médico e paciente no processo de cura.
Papel do espiritismo
• O princípio mais importante para a medicina que trabalha com as vibrações é o conceito de que os seres humanos são sistemas dinâmicos de energia que refletem os padrões evolutivos do crescimento da alma.
• O médico não deve ser apenas um agente promotor da cura, mas também um educador. No entanto, o paciente é o principal responsável pela sua cura.
• É muito mais fácil tomar um comprimido que proporcione um rápido “conserto” do organismo, do que modificar os hábitos potencialmente insalubres que possam estar contribuindo para o problema da saúde.
• Cada ser humano é responsável pela busca do seu equilíbrio, da sua harmonia. O espiritismo auxilia no tratamento da consciência humana, lhe apresentando novos valores, educando o espírito.
• Muitos pacientes só adotam hábitos mais saudáveis após algum acontecimento traumático ou o diagnóstico de uma doença grave.
• O médico do futuro combinará o conhecimento científico e o conhecimento espiritual a fim de promover a cura em todos os níveis.

Todos que desejarem acesso ao conteúdo desta apresentação enviem e-mail para
josejotz@yahoo.com.br
indicando no assunto “Palestra: Medicina e espiritismo”.
Autor: José Carlos Pereira Jotz
Enviado por: Maria Luiza
BIBLIOGRAFIA
Por que adoecemos? Novos horizontes do conhecimento médico espírita - Associação Médico-Espírita de Minas Gerais.
Por que adoecemos? Volume II Princípios para a medicina da alma. Associação Médico-Espírita de Minas Gerais.
Doenças, cura e saúde a luz do espiritismo. Geziel Andrade.
Medicina Vibracional. Uma medicina para o futuro. Richard Gerber.
Escutando os sentimentos. Wanderley S. de Oliveira.
Diga-me onde dói e eu te direi por quê. Michael Odoul. Editora Campus

terça-feira, 2 de abril de 2013

felicidade e trabalho



Felicidade e trabalho, dois temas da vida que se complementam, à maneira do    teto e do alicerce de uma construção.
Indubitavelmente, a terra ainda é uma estância de provas regenerativas, sem    possibilidade de oferecer – nos a felicidade integral;
Entretanto, nela encontramos todo o material de que necessitamos para eleva- la  na categoria dos mundos.
Dificuldade, tribulação, sofrimentos  e atritos são alguns dos agentes, com os  quais nos será possível organizar  o aperfeiçoamento de nós mesmos.
Se podemos sugerir o começo do imenso trabalho alusivo à realização que  procuramos, é preciso erradicar a insatisfação que tantas vezes nos caracteriza, instalando em nós todos, o amor e a humildade, a paciência e a coragem, por    instrumentos do serviço que nos será possível manejar com acerto, no nosso    próprio benefício.
Não existe pântano que não possa ser drenado e nem penúria que a    benemerência não consiga extinguir.
Em suma, estamos todos, os espíritos vinculados à terra, num plano de grandes    conflitos, carregando o fardo das nossas imperfeições, adquiridas ao longo dos    milênios, mas o supremo Pai jamais nos tirou a bênção da esperança, e, em razão    disso, ser – nos – á  possível aceitar os agentes que dispomos, a fim de melhorar-nos, melhorando a vida, em torno de nós.
A vida no planeta é assinalada por embates e antagonismos diversos, no entanto, a paz e a alegria se nos farão companheiros em todos os dias da terra e do mais    além, se nos dispusermos a aceitar a existência que nos foi concedida, a amar aos    nossos semelhantes e a servir incessantemente, realizações que buscam     unicamente uma só atitude:
Trabalhar…….

quinta-feira, 28 de março de 2013

Mensagem A Páscoa em todos os sentidos


















Guerra, violência, miséria...
Que bom seria que as pessoas pudessem
Sentir e viver o sentido da páscoa.
Não só nessa semana que se aproxima,
Mas em todos os dias do ano.
Jesus deixou sua simbologia
Seu exemplo
Sua missão
E cabe a nós cristãos
Vivermos as suas palavras.
Não adianta querermos transformar o mundo
Se não somos capazes de transformarmos a nós mesmos.
Nessa páscoa procuremos contagiar as pessoas
Que tudo ainda pode ser diferente
E o será.
Não podemos permitir que as atrocidades da vida
Mudem a nossa forma de encarar
Os obstáculos cotidianos.
Vamos juntos perpetuar o amor
Porque foi através dele que Jesus
Deu o seu testemunho.
Procure amar
Começando a amar a si mesmo.
Porque tudo que há no mundo:
O sol
A lua
As estrelas
As montanhas
O mar
Os rios
A vida
Deus nos concebeu.
Pense nisso!
Feliz Páscoa. 

jesus nos ensinou eo depois nos enviou como praticar esse amor dando nos dois grandes exemplos kardec e chico xavier...

quinta-feira, 14 de março de 2013

NAS MÃOS DE DEUS




Deus em nossos atos
Em vão buscamos, meus irmãos, a Deus longe de nós.

Muitos anos perdemos em buscas infrutíferas em templos e em palácios.

Anos passaram-se sem que o encontrássemos em bosques ou florestas.

Muito tempo perdido na busca em expiações e sofrimento.

Para que encontremos, verdadeiramente, Deus, temos que buscá-lo próximo a nós e em nós mesmos.

Na fé certa e segura que ampara os próprios sofrimentos e não permite que o desãnimo ou a incuria tomem conta de nós.

Na certeza de seu amor santo e eterno que nos traz sempre o melhor e o mais apropriado no momento certo para o nosso crescimento.

Na busca de seus ensinamentos em nosso coração, que poderão, mais tarde, servir de guias para outros corações frágeis e sem esperança.

E, principalmente, nos atos e sentimentos que despertamos dentro de nós e que nos fazem, mesmo os menos crédulos e praticantes, poder servir aos outros, como manda a lei de amor.

Deus está em nossas mãos, meus irmãos, bastando para encontrá-lo que nós abramo-as e deixemos que o amor passe por elas para o próximo.

Eusébio

Reflita. deixe jesus morar em seu coração







Há 2000 anos passados, não se sabe a data ou o mês,
nasceu o Cristo de Deus
para nos guiar em nossas caminhadas saindo da escuridão.

Há pouco, quase há 1000 anos, renascia o Cristo de Deus,
através de seus ensinamentos que foram lembrados pelo representante de Assis.
O pobre de riquezas e rico de amor.
Que em época de tristeza veio aliviar o sofrimento e a dor.

Há pouco mais de 100 anos nascia o Chico de Deus, 
que veio lembrar novamente os ensinamentos de Jesus.

Através destes 03 luminares recebemos o que mais necessitamos
para vencer o mal que habita em nós e a dor que em nós faz morada.
Para tal, necessário apenas se faz, 
que tenhamos a força de vontade e o amor como ideal.

Hoje, meus irmãos, 
devemos buscar dentro de nós o Cristo de Deus
e deixar que ele nasça novamente,
de novo e sempre, todo dia, 
não apenas para nós, mas para todo o mundo.

Paz em ventura a todos os homens de boa vontade.
um amigo